Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aurorar 4.0

Com sentimento, no ideário virtual de um percurso real.

Aurorar 4.0

Com sentimento, no ideário virtual de um percurso real.

[Em pouco tempo, ou não…] II – Reflexos

 

(Reposição)

  

  

 

     Reflexos

A partir de um espelho, no Abismo, há muito tempo .

 

     Imagina que, ontem ou anteontem, cheguei a escrever, como comentário, que estava do lado errado do espelho. Claro que apaguei a afirmação. Eu já não tenho a certeza de qual é o lado certo e correcto, mas parece que estou sempre enganado. Embora, muitas vezes, o lado errado seja o lado exemplar, perfeito e o lado do bem, eu penso que estou sempre do lado mau. Fiquei, apenas, pelo desencontro, não fui além disso. Só isso ficou escrito.

 

     Acredita que, já há muito tempo, comecei a fraquejar. Já fui além do ceder e da irritação, já perdi a razão. Por vezes convenço-me que tudo, mesmo tudo, é subjectivo e tento aceitar esse todo e tudo dessa forma, dentro da subjectividade. Reservo-me e fico quieto a ouvir o vento, ou, quando posso, as ondas. Contudo, muitas vezes não o penso assim. É difícil, para mim, assistir ao chorrilho de mentiras e dissimulações sem que a revolta me tolde a serenidade e me paralise a bondade. Os enganos e os desenganos cercam-me e encarnam naqueles que me rodeiam e que já deixei de conhecer, porém, reconheço-os.

 

     Vejo que a omissão parece ser libertadora, a salvação ou absolvição e, até, justificação para qualquer falta de escrúpulo. Vejo, e testemunho, o reflexo da supressão de uma passagem, ilegal para a união, que quase me passava despercebida. Agradeço-te a frontalidade e por me mostrares alguns detalhes, só assim consigo ver e saber.

 

     Estou cansado deste jogo aéreo e deste jogo rasteiro, pouco esclarecidos e trapalhões, com regras em constante mutação e desiguais entre iguais. Tenho piedade, dó, dos inocentes, aqueles que sofrem e sofrerão e os que virão a sofrer com o resultado destes atropelos. Lamento e lamentarei, se as forças me faltarem por completo e crescerem outras no seu lugar, mas será uma alegria para a sanidade e para a serenidade.

     

     O ano passado foi difícil, mas este ano é, normalmente, pior.

 

     Levo a peito o despeito. Abro o meu peito e o respeito. Sabes como me irritam a arrogância e a altivez dos que, sabendo-se errados e descobertos, continuam cheios de razão, impunes e de peito feito.

 

     Até breve, espelho!

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Tugazzar 15.09.2011 18:35


    Teríamos aqui pano para mangas. Como eu gosto destas conversas...
    Sabes, o mundo ficcional é afável e um bom porto de abrigo.
    Obrigado pela visita!
    Bem-haja!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens

    Arquivo

    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2010
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2009
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2008
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2007
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2006
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D